O que é a pseudociência

O que é a pseudociência? – Confira definição e exemplos na prática!

Qualidade de Vida

O que é pseudociência? Mitologia, astrologia, geobiologia, método terapêutico e muitos outros termos que terminam com “-ia” e tentam se passar por disciplinas científicas como astronomia e biologia, mas não são.

É sobre isso que queremos falar hoje, explicando o que são as pseudociências, por que são chamadas e como se relacionar com elas, mantendo uma postura equilibrada e permanecendo ancorados na verdade comprovada para não cair em fraudes, falsidades, falsas lendas.

Estas que em alguns casos podem até impactar em decisões importantes em nossa vida que dizem respeito à esfera emocional ou ao setor da saúde.

Leia conosco e entenda de uma vez por todas o que é pseudociência, vamos lá!

O que é pseudociência: definição

Afinal, o que é pseudociência? Uma pseudociência por definição é uma teoria, uma metodologia ou uma prática que quer passar por científica e clama clamorosamente sê-lo, mas ao mesmo tempo não tem a intenção de seguir qual é o método subjacente a toda ciência moderna que se preze, o método científico, ou o experimental. 

“Eles”, portanto, não aceitam a ideia de que as declarações que fazem devem ser validadas por evidências experimentais, afirmam ser abalizadas mesmo que não haja dados para apoiar as teorias que divulgam, causando confusão em áreas importantes como saúde, mudanças climáticas e etc.

O termo vem do prefixo grego pseudo (falso, mentiroso) e do latim scientia (conhecimento) e o primeiro a usá-lo foi um fisiologista chamado François Magendie.

As pseudociências não atendem aos requisitos de verificabilidade exigidos pela ciência, são teorias interpretativas da natureza que partem de uma observação muito subjetiva do que acontece e com uma série de conexões mais ou menos lógicas e explicáveis, chegam a conclusões que muitas vezes se chocam com o que são as verdadeiras teorias científicas.

Falamos de pseudociências geralmente de forma negativa, contrastando-as com ciências e as considerando com base em argumentos imprecisos e que tentam se passar por ciências de maneira enganosa.

Não há um limite claro que nos ajude a entender o que são pseudociências, geralmente baseadas em uma avaliação de exames científicos e evidências que sustentam a teoria. Curioso que com o tempo as coisas podem mudar, quando uma pseudociência consegue coletar evidências científicas e ganhar a nomeação como ciência.

Aconteceu com a deriva continental, considerada uma teoria pseudocientífica até a descoberta de evidências paleomagnéticas que comprovam o conceito de placas tectônicas. Mesmo a evolução das espécies e o heliocentrismo, se bem lembramos, tiveram que lutar para serem considerados ciências.

Exemplos de pseudociências

Não é uma boa notícia, mas é preciso observá-la, existem pseudociências em todos os campos do conhecimento, motivo para estarmos atentos e discernirmos cuidadosamente entre as noções e as novidades que nos são propostas.

Aqui estão alguns exemplos de quais são as pseudociências mais comuns:

  • A loteria aproveita a matemática e tenta trabalhar ao lado da estatística aplicando a conhecida Lei dos Grandes Números de maneira instrumental para chegar a conclusões enganosas;
  • A astrologia é uma pseudociência em assonância com a astronomia, mas tem absolutamente o mesmo valor, interpreta os planetas e os usa para contar histórias e dar conselhos absolutamente não comprovados;
  • A grafologia popular nos faz acreditar que a partir de nossa escrita podemos prever a personalidade, habilidades e atitudes do escritor, mas absolutamente não tem o mesmo rigor que a perícia caligráfica, usada por verdadeiros especialistas para estudar manuscritos;
  • O tema da morte é muito popular no campo da pseudociência com psicofonia ou mediunidade enquanto os envolvidos na arquitetura também podem ouvir sobre geobiologia. Teorias sobre alienígenas criando círculos nas plantações, naves espaciais e OVNIs também são populares.

Pseudociência e medicina

Vale a pena dedicar um capítulo à parte às pseudociências que afluem ao campo da medicina e, infelizmente, novas surgem continuamente.

O risco é alto porque podem ser enganosos e convencer uma pessoa frágil a abandonar tratamentos verdadeiros para seguir teorias fantasmas sem fundamento e eficácia. Fala-se de medicinas alternativas, há muita discussão e o debate é acalorado e interminável.

Como reconhecer pseudociências?

Algumas pseudociências entraram na subcultura brasileira a tal ponto que nem mesmo percebemos sua inconsistência e perigo até que se tenha que lidar com suas teorias de perto. No entanto, é importante fazer uma limpeza entre o que acreditar e o que ficar longe. Aqui estão algumas indicações para entender o que são pseudociências.

As teorias pseudocientíficas nunca são controláveis, ou seja, falsificáveis. Uma pseudociência é fundada em ideias estáveis, ou seja, em ideologias ou dogmas que não mudam e não podem/devem ser mudados:

  • A pesquisa por pseudocientistas não envolve revisões por pares;
  • Os pseudocientistas não usam os canais de comunicação tradicionais de cientistas e médicos;
  • Os pseudocientistas mantêm os métodos que usam em segredo;
  • Ao contrário da ciência, as pseudociências reivindicam ampla utilidade prática;
  • Os pseudocientistas são vitimizadores;
  • Os pseudocientistas fazem uso de terminologia semelhante à ciência;
  • Pseudocientistas tentam despertar emoções, em detrimento da lógica.

Esse foi nosso artigo sobre o que é pseudociência, até a próxima!